19 de março de 2021 In Cidadania, Comportamento

A ALIENAÇÃO PARENTAL ATÉ PREJUDICA O OUTRO, MAS, A VÍTIMA É SEMPRE O FILHO.

Nos dias atuais é inegável que, ao menos uma vez, não se tenha ouvido a expressão “ALIENAÇÃO PARENTAL”, mas, é cada vez mais notório desconhecimento de muitos pais sobre o que de fato, pode ser…

LEIA MAIS
4 de março de 2021 In Cidadania, Comportamento

O NARCISISMO TOGADO DOS MEMBROS DO STF

papel foi atribuído ao Supremo. Que, além de decidir questões da Constituição, passou, também, a ser instância revisora do Judiciário. Contudo desde a, AP 470 (Ação Penal Mensalão).

NÃO É O QUE SE FALA o maior problema é QUEM FALA E DE QUEM SE FALA. A contradição intelectual (o que leciona o Min Alexandre de Moraes em seu livro) e factual (os fundamentos contidos em seu voto) em se tratando da interpretação do Art. 53, da CF são hipocritamente corretas na visão de poucos contorcionistas hermeneuticamente considerados juristas, pois, para JURISTAS DE VERDADE, tais como, Prof. Ives Gandra Martins, Prof Modesto Carvalhosa e o Ilmo. Prof. Pedro Lenza (o qual tivemos a honra de poder ter como referência na faculdade) afirmam com clareza solar, que trata-se de uma prisão inconstitucional e por consequência, flagrantemente ilegal (mas, sem mandado ok?)

LEIA MAIS
22 de outubro de 2020 In Cidadania, Comportamento

ATIVISMOS JUDICIAIS NÃO IRÃO PROTEGER VÍTIMAS, MAS CRIAR NOVAS

No dia 13 de junho de 2019, o STF julgou a Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) 26 e o Mandado de Injunção (MI) 4733. Ambas as ações foram propostas, respectivamente, pelo atual Cidadania (antigo Partido Popular Socialista) e pela Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT). Além da criminalização da LGBTTIfobia, também se questionava a inércia do Congresso Nacional ao não editar uma lei que criminalize atos de homofobia e de transfobia.

Que a homofobia precisa ser combatida é algo indiscutível; mas nunca como o STF fez para atingir este objetivo, simplesmente equiparando-a ao racismo e incluindo a discriminação contra a população LGBT na Lei 7.716/89[5], foi e é equivocada.

LEIA MAIS